segunda-feira, 25 de maio de 2015

Decisão por adoção

Adoção é uma decisão. Sim, é verdade. Em tantas histórias de adoção que eu ouvi, nenhuma era de alguém que não se planejou, mas que acidentalmente acabou adotando. Casais decidem ter um filho adotivo e iniciam um processo voluntário para isso.
Ao mesmo tempo que achamos bom o fato de podermos decidir, normalmente é desconfortável quando precisamos tomar uma decisão. Parece que nós achamos bom mesmo é o fato de viver nosso dia a dia no automático, tudo levado numa rotina, acreditando que não precisamos nos sentir responsáveis pelas consequências das atitudes que tomamos. Mas aí algo acontece que nos força a tomar uma decisão. Na verdade todos os dias tomamos uma decisão, até quando decidimos por não decidir. Mas quando pessoas que decidem algo radical sem terem sidos forçadas a isso constantemente escutam a chata pergunta "Por que vocês vão adotar?".
Decisões também são encaradas como atitude que tomamos para alcançar algum fim e aí as perguntas, de chatas, vão ganhando outras categorias que eu ainda nem consegui classificar. "E quando vocês tiverem os seus?".
A decisão por adoção é na verdade a decisão de ter um filho. O crescimento da família é uma decisão que transcende o indivíduo. Decisão por adoção é decidir ser pai/mãe. Passar por um processo de transformação em que você é forçado a aprender que você nunca foi o centro. Entende agora por que a pergunta do "por que" é muito chata? Decisão por adoção é decidir o meio para ter um filho e ser pai/mãe. Assim, indiferente do meio, o filho é seu e você é pai/mãe. Não existe essa loucura de "tiverem os seus". Quando você adota, dizem que não dá para moldar assim como a gente quer. Minha mãe e meu pai também não "conseguiram", mas aprendi muito deles e sou o que sou por causa deles. Só que assim como eles decidiram, também me mostraram que eu também poderia decidir.
Decisão não é algo sempre burocrático e racional como normalmente imaginamos. O amor é o melhor exemplo disso, pois ele também é uma decisão. Decidi amar a minha esposa, decidi amar a minha família, decidi amar meus filhos adotivos e biológicos... e olha que eu ainda nem os conheço.
Mas decide me preparar e esperar por esse grande dia que eu já decidi.