sexta-feira, 20 de maio de 2011

A construção do casamento

Démodé ou não, é comum que duas pessoas que se amam planejem viver uma vida a dois. Seja por meio de uma união estável ou um casamento, o rumo de vida que as pessoas tomam revela essa necessidade que cada um tem de ser amado, de amar e ter alguém ali do lado. Mas mesmo sendo um desejo inerente do ser humano, é importante notar quando se opta pelo casamento se essa união é obra do acaso ou de uma séria construção.
Eu creio, mesmo com todas as suas surpresas e mesmo nos revelando muitas vezes impotente diante de situações que não podemos mudar, que o casamento é uma construção. No entanto, essa construção não é que nem uma casa que a gente constrói e depois de tudo pronto a gente vai morar, não é uma construção que acontece apenas quando se planeja se casar, mas é uma construção para a vida toda do casal, durante todo o casamento. A vantagem que temos quando encaramos como uma construção, e não meramente uma química ou uma energia, é que você assume a sua participação ativa no que é o seu casamento e começa ter mais autoridade para o que querer dele, até mesmo quando a coisa balança.
Já dizia o ditado popular "Quem casa quer casa". O que acha então de uma boa casa para ser a base dessa união? Já que duas pessoas se gostam e estão dispostas a não viverem com os pais, já junta a fome com a vontade de comer e construa essa vida a dois, não? Aproveita que todos trabalham e cada um contribui com a sua parte, tanto financeira como nas atividades doméstica. Na construção é só definir bem para que todos tenham o seu papel e vivam em harmonia. Claro que também sempre rola as trocas de favores e você vai se sentir transformado quando perceber que se alegra por ter alguém para compartilhar as mesmas despesas. Mas nem só de despesas vive essa união, mas também de grandes festas ao longo desse caminho.
E já que você está participando dessa construção, você não precisa tomar o caminho que todos tomam, mas pode analisar pontos que é bom para você. Afinal de contas, tudo isso é um cenário da construção da sua própria vida. Se a união é feita de pelo menos duas pessoas, por que não encarar que existe mais de uma vida e que cada um também deve cuidar de sua vida em particular para ser feliz e se realizar? Então, cada um deveria ter também as suas coisas em particular, pois no fundo no fundo, infelizmente ou não, cada um vive por si. Mas aí fica mais fácil desatar os laços quando isso for preciso para alcançar as nossas metas. Todo relacionamento tem problema, e quando a coisa aperta é mais fácil cada um arrumar o seu canto, já que todos estão de passagem, pegue esses momentos que ninguém pode tirar de sua vida e busque amadurecer no novo caminho que se trilha.
Essa é uma opção de vida em conjunto que você pode construir. O problema é que isso está longe demais do conceito de um casamento. Parece mais uma república. Nada contra uma república, mas acho que existe a fase e as pessoas certas para se construir essa forma de união. Acho que as pessoas que estão pensando em república não deveriam se casar; assim como as pessoas que estão pensando em se casar não deveriam formar repúblicas. Viver em república é muito bom, mas em um casamento bem construído pode ser muito melhor.
No casamento, o que uni as pessoas são as pessoas envolvidas. Não mais por um lar, mas pelo próprio amor. No casamento, se compartilha as despesas, mas também a mesma casa, a mesma cama, os mesmos corpos, os mesmos filhos, a mesma grana, se compartilha a vida. Mesmo você investindo seu dinheiro para sustentá-lo, o casamento se sustenta até mesmo na miséria. Todos vivem por todos, e a sua parte é se entregar totalmente. Cada um tem seu papel e as coisas funcionam bem melhor quando cada um sabe qual é o seu. Pessoas maduras aceitam que muitas coisas na vida são passageiras. Pessoas mais maduras ainda se fortalecem no casamento diante de cada passagem da vida. O casamento tem muitos problemas e abortar a relação seria realmente uma imaturidade. Casado, a minha vida é dela e a minha meta é o próprio casamento.
O que você quer construir? O casamento não é o caminho mais fácil, por isso que minha esposa e eu não seguimos sozinhos. Eu sei que vão surgir vários momentos da vida complicados e que podem nos pegar até de surpresa, quando estivermos cansados, por exemplo. Mas sempre que olho para minha esposa eu decido que quero, cada vez com mais força, um casamento de verdade e estou inteiramente disposto a ter uma participação ativa para essa construção. Não sou tão ingênuo de confiar assim nas minhas forças, mas confio plenamente no Mestre de Obras que é o próprio Amor em pessoa.

2 comentários:

  1. tem hora que esposa de autor sofre, mas foi uma honra ser personagem ativo desse texto. lenio, te amo. fernanda bronzeado mendes.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto, Lênio!! Lindo!
    Bjos pra vcs. E um ótimo casamento!

    ResponderExcluir