quinta-feira, 10 de março de 2011

De dentro pra fora II – Os valores

Conforme fui aconselhado pela minha querida amiga Renata, dividi o post da semana passada em 2 para valorizar mais o seu conteúdo. Enfim, aqui está a segunda parte onde comento um pouco sobre 4 valores de Deus que refleti no mês passado, para ter no coração e realizar novas atitudes partindo de dentro pra fora.
Se você não leu o primeiro post do De dentro pra fora, vá lá que a gente te espera... Bem, agora que você já leu, vamos seguir.

1º valor - Vida em abundância (João 1:4)

Fomos convidados para termos vida, e vida em abundância. Isso implica em assumirmos novas atitudes para nós mesmos. Se avaliarmos tudo que nós temos e como lidamos com essas coisas, nos refletirá o respeito que temos à nossa própria vida?
A vida é um presente de Deus e precisa ser cuidada com zelo. Assim como na parábola dos talentos e todos os presentes que recebemos Dele. Mas o que pega é como começar. Onde preciso mudar. Eu ouvi falar dos 7"S" para qualidade de vida e eu achei fantástico para ser uma forma de começar a cuidado de mim.

Sono. Respeitar o limite do meu corpo e me permitir a dormir uma quantidade que seja sadia a minha vida.

Sol. Eu não posso ficar trancado dentro de casa e o escritório. Pelo menos ficar uns 15 minutos diários curtindo uma vitamina D. Totalmente light. Totalmente luz.

Solitude. A cabeça costuma produzir muitos sons. O meio que a gente vive também está sempre nos demandando coisas absurdas. Nada como ficar sozinho, refletindo, em meditação. Eu, que sou ansioso, inquieto e logorréico, abracei essa prática que tem me mostrado benefícios muito rápidos.

Sabbath. Guardar 24h por semana para o descanso e contemplação é revitalizador.

Sexo. Para a alegria de uns e desespero de outros, Deus abençoa o sexo. Faz parte da criação já citado no início da Bíblia. Tanto quando fala para nos multiplicarmos, não se referindo a fazermos conta de vezes, mas também no conceito de se tornarem uma só carne, enfatizando que o sexo unifica o casal. Por meio do sexo, consuma-se o amor de um casal, eles se tornam um e entram no ápice da intimidade. Acho que não preciso explicar tanto este ponto, né?

Suor. Estou caminhando todos os dias. Está muito gostoso.

Sabor. A vida tem que ser assim.

Todos esses S´s praticados com temperança, baseados em princípios fortes e com perseverança, pois nem todos os dias estou animado para caminhar, deixa a vida com mais qualidade e revitaliza tanto a mim, como as pessoas que me cercam.

2º valor - Relacionamento (Salmo 133:1)

O relacionamento é um forte valor de Deus que revela a sua própria personalidade na Trindade. E criados a sua imagem e semelhança, nascemos para viver em comunhão, com o fim no amor.
Aparentemente, eu sou uma pessoa muito bem relacionada. Será que eu precisaria ter novas atitudes nessa questão? Sempre é bom rever a nossa vida, nossos valores e nossas atitudes. Rever a maneira como eu me relaciono com as outras pessoas não seria diferente. Ainda mais quando tenho a leve sensação de perfeição. Aí a atenção deve ser redobrada.
Uma coisa que eu decidi é não confundir a imensidão de contatos, que sempre me seduz, com relacionamentos sinceros e profundos. Creio que a palavra chave é profundo. O superficial nos garante status em nossas redes sociais, mas que o profundo nos socorre em um dia angustiante em que precisamos nos abrir com alguém, chorar e receber um aconchegante abraço.
Para isso, é preciso parar de se relacionar com números e se relacionar com pessoas. Acho que a nova atitude que muitos deveriam fazer se quisessem ter esse valor no coração seria desconectar um pouco das redes sociais e investir um pouco mais na relação interpessoal no trabalho, na escola, vizinhança ou até mesmo dentro da própria casa.
Em alguns casos, deve-se até abrir mão do orgulho, reconsiderar algumas mancadas, exercer perdão e restaurar amizades profundas que por coisa boba acabou. Alguns acreditam que o tempo é o melhor remédio, mas a minha concepção do chronos é de um ser devastador, e não restaurador.
Bons relacionamentos requerem kairos e atitudes de dentro pra fora.

3º valor - O amor ao próximo (Lucas 10:27)

Eu me lembro de uma história que aconteceu quando namorava a minha esposa. Ela estava de mudança e decidi ajudá-la recolhendo caixas de papelão. Nenhum de nós tinha carro e fui caminhando pela cidade, de supermercado a supermercado, em busca das caixas. Esse pode ser visto como um grande exemplo de amor ao próximo visto todo o meu trabalho de carregar aquele peso. Que desconforto! O pior nem era segurar; mas, sim, andar com tudo aquilo sem deixar que nada caísse no chão.
Por mais complicado que fosse, naquele mesmo dia, ganhei vários beijos e abraços e carinhos sem ter fim como recompensa para essa minha prova de amor. Hoje somos casados e certamente ganhei pontos extras por essa ação.
Vamos ser sinceros. É cômodo demais e até periga soar falso usar esse exemplo para amor ao próximo. Mas o que me chamou atenção naquele dia foi outra pessoa. Uma mulher que aparentava ter os seus 40 anos, bem vestida, maquiada, dentro de um carro importado que até hoje eu não sei o nome. No banco de trás do seu carro tinha um menino, provavelmente o seu filho. E eu andando na rua, com roupa velha para sujar, carregando um monte de caixa de papelão. Ela parou do meu lado, abriu a janela e me disse. "Por favor, deixe-me te ajudar". Eu não esqueço até hoje daquele "por favor". Soou muito estranho. Parecia que eu estava numa cena de um teatro vendo alguém roubando as minhas falas e, de uma maneira inexplicável, eu estava muito agradecido por isso.
Ela abriu o porta-malas do carro, eu coloquei todo o papelão em seu carro, sentei do seu lado e fomos até a casa da minha namorada. Depois eu ainda percebi que ela tinha saído totalmente do seu caminho para me ajudar. E a melhor parte foi que, quando eu saí do seu carro lhe agradecendo, ela respondeu com um sorriso e um "De nada". Ela parecia ser tão generosa que eu jurava que ela iria dizer "Passe adiante". Mas nem isso ela me cobrou. Eu não sei o nome dela, em quem ela votou, qual é a sua crença, os seus valores, mas sei que ela me ajudou quando eu precisava. Ela foi o meu próximo.

Nem todo mundo concorda com esses valores. Friedrich Nietzsche é um bom exemplo por ser contra a compaixão e a piedade, sendo, para ele, um sinal de fraqueza, contrário a exaltação da vida, contrário aos valores vitais.

"Minha experiência dá o direito de desconfiar em princípio dos impulsos chamado "desinteressados", e de todo o "amor ao próximo", sempre disposto à palavra e ao ato. Eu o vejo em si como fraqueza, como caso especial da incapacidade de resistência aos estímulos - a compaixão passa por virtude apenas entre os decadentes [...] compaixão cheira instanteneamente a plebe [...] Coloco a superação da compaixão entre as virtudes nobres". (Nietzsche)

Esse pensamento que parece ser revolucionário já vem das antigas escolas filosóficas gregas e acaba sendo aceita, mesmo que não assumida, por muita gente. Aliás, quem fala sobre compaixão nos nossos dias de maneira bastante entusiasmada?

"Esta estranha ideia de ‘ser capaz de resistir aos estímulos da compaixão’ que Nietzsche exalta como a virtude mais nobre, não é nada senão uma versão radicalmente ousada daquilo que os antigos gregos chamavam de apatheia. Nas escolas filosóficas gregas, principalmente a dos estóicos, a apatheia (de onde vem a palavra apatia) era um alvo a ser alcançado. Somente através da apatia e da indiferença, ou da total ausência de perturbação, que o indivíduo habilidosamente adestrado, conseguia chegar a um estado de ataraxia (tranquilidade) ou impertubabilidade. Ou seja, a apatheia era uma escolha para a felicidade, e a felicidade se resumia naquele momento em que a alma se torna insensível à dor e a qualquer sofrimento." (Daniel Grubba)

Nem mesmo na maioria das igrejas se fala mais isso. A mensagem mais pregada é prosperidade. Ou então, fica num papo sobre amor que nunca cai para a atitude.
O próximo não pode se limitar a um círculo fechado de relacionamento que estabelecemos e a nossa ajuda deve partir da necessidade do próximo. Do que vale dar um prato de comida a quem precisa de uma carona?
Que bom que a moça da carona era diferente a tudo isso.

4º valor - O Reino (Mateus 6:10)

Não. Eu não estou falando de viver somente o amanhã, na expectativa da vida que terei após os meus olhos se fecharem para a história e abrirem para a eternidade, me esquecendo totalmente de viver o hoje. Se cristãos dizem que desejam tanto o Reino sem injustiça, sem mentira, sem orgulho, sem inveja, por que não mostrar esse desejo no dia a dia e viver o aqui e agora com justiça, verdade, humildade?
Eu disse que de todos os temas eu falaria um pouco, e esse, que tem muito a ser falado, eu deixo só a introdução.
Mas sempre quando tem esse tema eu me lembro de um texto e de uma música e com eles eu termino esse post.

"Vocês são o sal da terra. Mas se o sal perder o seu sabor, como restaurá-lo?" (Mateus 5:13a)

Esse texto é falado por Jesus no início do sermão do monte, em que ele apresenta bem os valores do Reino. Abaixo é uma música de Beto Guedes em que ele exemplifica com muito esmero o que é ser Sal da Terra e assim viver os valores do Reino.

O Sal da Terra
de Beto Guedes

Anda, quero te dizer nehum segredo
Falo nesse chão da nossa casa
Vem que tá na hora de arrumar
Tempo, quero viver mais duzentos anos
Quero não ferir meu semelhante
Nem por isso quero me ferir
Vamos precisar de todo mundo
Pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
Vamos precisar de muito amor
A felicidade mora ao lado
E quem não é tolo pode ver
A paz na Terra, amor
O pé na terra
A paz na Terra, amor
O sal da Terra
És o mais bonito dos planetas
Tão te maltratando por dinheiro
Tu que és a nave nossa irmã
Canta, leva tua vida em harmonia
E nos alimenta com teus frutos
Tu que és do homem a maçã
Vamos precisar de todo mundo
Um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
É só repartir melhor o pão
Recriar o paraíso agora
Para merecer quem vem depois
Deixa nascer o amor
Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor
Deixa viver o amor

2 comentários:

  1. Não consigo entender porque alguém entraria em desespero porque Deus abençoa o sexo.
    "... Para a alegria de uns e desespero de outros, Deus abençoa o sexo..."

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Anônimo, eu também não. rs

    ResponderExcluir