sexta-feira, 18 de março de 2011

Caverna do Dragão

Cuidado. Você pode estar dentro da Caverna do Dragão há muito tempo sem nunca ter se dado conta disso. As formas para se entrar geralmente são as mais peculiares. Você está num parque de diversão, por exemplo, brinca numa montanha russa e pronto. Tudo a sua volta não é mais como antes. Chega a ser assustador, pois você acabou de saiu da sua zona de conforto.
Sem saber direito como agir, alguma coisa lhe diz que, para sobreviver nesse novo mundo, você não pode mais ser você mesmo. Escolha a sua fantasia. Cavaleiro, espião, mago, acrobata, bárbaro, arqueiro. Tudo bem, você não precisa ser excelente no seu arquétipo assumido. Pode falhar numa magia aqui, se acovardar de uma luta ali, pois o importante mesmo é saber que tudo não passa de uma interpretação.
A verdade é que todos não passam de adolescentes americanos num mundo cheio de grandes novidades, oportunidades e sentidos, mas o que realmente impera é o saudosismo. O desejo de tudo ser exatamente como era antes leva as pessoas a andarem sem rumo, lutando uma vez com Tiamat aqui, outra hora com o Vingador ali, depois com o Demônio das Sombras acolá, mas nada diferente de correr atrás do vento.
Para não assumir que está perdido, segue-se alguém com fala bonita, mais palavras sem nexo. Transmite informações que ocultam reais intenções, mas pelo menos tem um bom estereótipo de sábio, parecido com o Mestre Yoda. No entanto, do que vale um mestre que não é claro no que ensina, leva pessoas a andarem em círculo, deixa seus seguidores cada vez mais inconformados e sem esperança e, quando a coisa aperta, some? Um verdadeiro mestre deveria ser capaz de morrer pelos seus, ao invés de ficar com aquela eterna cara de apatia.
Por fim, no meio da caminhada sem rumo, aparece um portal que faz renovar toda a esperança. A vida ganhará um sentido, tudo será perfeito e todos os problemas desaparecerão. Basta passar pelo portal que está à sua frente. Sua vida de simples sobrevivência se encerra para iniciar uma vida em que agora você sonha. Só que, a um passo do portal, você olha pra trás e vê um unicórnio em apuros e volta, permitindo que as coisas desse mundo sem sentido te prendam para sempre.

6 comentários:

  1. Uma colocação realmente inspirada e muito real mesmo. Grata pelo destemor em compartilhar essas verdades.

    ResponderExcluir
  2. Oi Lênio, tudo bem?

    Muito legal este texto,as comparações, os arquétipos, os mestres, os desafios e motivações. Parabéns!

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Gostei , ficou muito criativo.

    ResponderExcluir
  4. Sábias palavras. Esse é você, um ótimo escritor e grande amigo :)

    ResponderExcluir
  5. As vezes a maior grandeza está em apenas admitir que errou, acreditar em que nem todos os dias serão os melhores, mas o egoismo próprio refletirá muitas vezes em pequenos atos nos de insana necessidade de tentar ou cultivar a solidariedade do acaso, sim, fracassamos, buscamos respostas pra tudo. Mas esquecemos que somos simples e matéria, essa mesma que se desmanchará um dia. Se nos modelarmos de forma concreta utilizando cada um de seus defeitos, aprenderemos que a luz em que buscamos está em nossa própria mente, e o siclo, como sempre se recicla e os problemas passam e retornam, passam e retornam .... passam e retornam ...

    ResponderExcluir
  6. Lênio Mendes, como escreveu no BlogPop:
    http://blogpop.com.br/entretenimento/caverna-do-dragao-episodio-final-historia-tudo-sobre-a-serie/

    Lênio Mendes 18/03/2011 at 2:35 PM Editar -
    Olá,
    Peguei o seu site como referência para escrever o texto do meu blog.
    Obrigado pela colaboração,
    http://leniomendes.blogspot.com/
    Lênio

    Poderia aqui citar o BlogPop :)

    abs

    ResponderExcluir