quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Consegui um orientador

Pessoal, estou muito feliz e resolvi compartilhar sobre isso com vocês. Nem todos aqui estão por dentro da área de publicidade, outros não sabem bem como funciona uma pós, mas o que quero dizer é que consegui um orientador. Como me apresento no blog, eu trabalho como redator publicitário em uma agência de propaganda. Tem gente que não sabe o que é um redator, mas nada como uma boa pesquisada no google para esclarecer todos esses por menores. Já a minha pós tem um tema mais amplo: Educação, Comunicação e Tecnologias em Interfaces Digitais. Entendeu? Não tem problema, continue seguindo o texto.
A questão é que preciso fazer o famoso trabalho de conclusão de curso que, no meu caso, consiste em desenvolver um artigo científico. Digamos, de forma resumida, que artigo científico seria um texto que trouxesse uma solução a um problema encontrado ao analisar algum dizer de um importante autor referente ao meu objeto de estudo.
Simples? Primeiro eu tive que encontrar um objeto de estudo. Parece ser simples, mas não é não. O que muitos querem no início de tudo é abraçar o mundo, mas eu já aprendi que para fazer um bom trabalho de conclusão de curso é melhor escolher um dos continentes, analisá-lo bem, ver um país que mais lhe agrada, conhecer uma de suas cidades, entrar em um bairro e, por que não abraçar somente essa rua? Certamente já vai dar muito pano pra manga. O meu continente escolhido se chama Redação Publicitária. Essa foi fácil.
A segunda fase já foi um pouco mais complexa. Levantar alguns autores importantes da área acadêmica que falam do meu continente. Zeca Martins, Jorge S. Martins, Celso Figueiredo, Tânia Hoff, Lourdes Gabrielli, João Anzanello Carrascoza. Mas quais são os seus dizeres? Lá estava eu lendo alguns livros deles para localizar algum problema para resolver. Eu tinha que ler e gerar alguma interrogativa. Só que quanto mais eu lia, mais exclamações apareciam. Aprendi e relembrei tantas coisas que eu acho até que tinha me esquecido de achar problema. A minha pesquisa estava tão fascinante que nem imaginava em que eu poderia contribuir para ajudar toda aquela teoria. Até que Zeca Martins, em seu livro Redação Publicitária - A Prática na Prática, no capítulo Surpreenda, comentou sobre o recurso da surpresa como um dos mais usados pela propaganda em todo mundo para extrair o máximo de retorno do investimento publicitário por ser uma técnica tiro na queda para fazer o pessoal fixar e até sair comentando por aí do VT que tanto lhe chamou à atenção. Esse recurso conta muitas vezes com a geração e alívio de tensão, criando-se um clima de expectativa no público-alvo que é surpreendido com um desfecho imprevisível e surpreendente.
O problema é que muitos desses VTs - Lembra do cachorro peixe? Dos carros andando de ré? Da mulher saindo na sacada e falando Roberto Carlos com sotaque? - são lembrados tão facilmente, com seu enredo que caiu no gosto popular, mas que seu produto anunciado dificilmente é lembrado até mesmo no período de sua veiculação.
Qual seria um caminho para que VT´s publicitários de 30" para televisão, com seus roteiros desenvolvidos com o recurso para surpreender o público-alvo com o seu desfecho, tenha o seu produto lembrado e associado com a sua campanha publicitária?
O próprio Martins fala para tomarmos esse cuidado, mas não sugere caminhos. Creio que um dos caminhos seja criar um enredo com desfecho que surpreenda apresentando um diferencial ligado com o produto, muito bem posicionado no mercado. Vai saber? É por isso que eu vou pesquisar.
O professor achou a minha proposta bem interessante. "Percebo em seu texto que há uma verdadeira inquietação epistemológica motivando-o a buscar conhecimentos e alternativas para responder a questão. Penso que somente as verdadeiras inquietações costumam resultar em boas pesquisas." Sim, tenho um orientador.
E lá vamos nós, desejem-me boa viagem.

4 comentários:

  1. Boa sorte! Vc vai precisar!
    TCC? Socorro!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Lenio, as orquestrações de Deus suprindo nossas necessidades, e em TODAS as áreas, é algo cativante que nos faz amá-Lo ainda mais. Uma pesquisa técnica é sempre fonte de trabalho extra, busca, um pouco de excesso de informação, e desânimo às vezes. Porém, quando tudo isso ocorre nos voltamos a ELe e clamamos: _"Dá-me um sinal da tua bondade, para que meus inimigos vejam e sejam humilados, pois tu, SENHOR, me ajujdaste e me consolaste". Que você seja diligente e dependente do SENHOR nessa empreitada. Um abraço, Ana.

    ResponderExcluir
  3. A propósito, Salmo 86:16-17

    ResponderExcluir
  4. Fico feliz pela tua idéia e pela orientação.
    Neste site há VTs, e é sempre atualizado com vídeos novos, talvez algum possa ajudá-lo, ou entretê-lo. http://www.funnyplace.org/
    Boa viagem!
    Gabriel

    ResponderExcluir